Estadual

"TIGRE DO SERRADO" 28/02/2018 10:03

Estado tem crescimento recorde de 14,1% em 2017 e escancara incompetência de Pedro Taques

Mato Grosso apresenta crescimento de "Tigre Asiático" em seu PIB e governo tucano não consegue administrar o estado, mergulhado em uma crise de incompetência geral

Da Redação

Os números do próprio governo sobre o crescimento econômico-financeiro de Mato Grosso em 2017, divulgado nesta terça-feira, 27, pela Secretaria Estadual de Planejamento (Seplan), mostra que o discurso do governador Pedro Taques (PSDB) de que o estado vive uma grave crise financeira é uma desculpe rasa para sua incompetência como gestor público. Os dados divulgados pelo titular da Seplan-MT, Guilherme Muller, mostram que o Produto Interno Bruto (PIB) de Mato Grosso teve um crescimento recorde de nada menos que 14,1% em 2017, índice que é 10 vezes maior que o registrado pelo Brasil no mesmo período.

Em uma tentativa débil de poupar o governador, Guilherme Muller ainda ensaiou uma justificativa para os repórteres sobre o porque das contas do estado não fecharem, mesmo com um crescimento tão vigoroso da economia geral da região. "O estado não tem uma crise econômica, tem uma crise financeira, porque, as receitas mesmo crescendo em função da economia, as despesas cresceram mais que a receita", disse. Acredite quem quiser.

Para Muller, os dados revelam um cenário positivo, já que reforça a percepção geral de quem acompanha o desempenho da economia estadual, de que a crise político-econômica intensificada pelo golpe que destituiu a presidenta eleita legitimamente em um processo fraudulento de impeachment em 2016 não afeta a economia de Mato Grosso. "Mato Grosso voltou a crescer em 2017. O processo de produção de Mato Grosso voltou à situação normal do passado, mas passou por uma crise",  insistiu Guilerme Muller desconsiderando que, também em 2016, em meio ao auge da turbulência política em Brasília, o estado cresceu à índices igualmente vigorosos, muito superiores aos da maioria absoluta dos demais estados do país.

Alavancada pela produção agropecuária, a economia mato-grossense mostra vigor crescente. Enquanto o Rio Grande do Sul estagnou sua economia em 2017 registrando 0,0% de crescimento, a Bahia apresentou 0,1%; Minas Gerais, 0,1%; Pernambuco, 1,6%; São Paulo, 2,3%; Ceará, 2,8%; Espírito Santo, 3,0%, Goiás, 3,3%, Mato Grosso registrou impressionantes 14,1% de aumento em seu PIB.

O setor que alavancou esse número foi o da agricultura e pecuária, que cresceu 49,8% no terceiro trimestre do ano passado. A Seplan divulgou que Mato Grosso cresceu 14,1% contra apenas 1,4% de crescimento do PIB nacional.

A exuberância do crescimento econômico do estado contrasta brutalmente com a realidade da administração do governador tucano Pedro Taques, uma verdadeiro gerador de crises em vez de soluções.  Setores e serviços públicos essenciais como saúde, estão mergulhados no caos por falta de recursos que o Executivo Estadual  se mostra incapaz de gerenciar. Hospitais filantrópicos e regionais passam dificuldades e até paralisaram os atendimentos, e os servidores do MT Saúde, mesmo contribuindo todos os meses, não conseguem consultas e internações.

Numa tentativa desesperada de criar uma rota de fuga para as críticas, Taques anunciou a intenção de criar de um fundo de estabilização fiscal retirando parte dos recursos a que os demais poderes tem direito a título0 de duodécimo sobre a arrecadação. A péssima ideia, claro, enfrenta dura resistência pública e nos bastidores dos poderes. 


versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo