Estadual

ELEIÇÕES 2018 28/03/2018 08:16

Taques reafirma candidatura a reeleição e exige lealdade do DEM

O governador evita comentar sobre seus planos eleitorais, mas manda recado aos aliados do Democratas de que espera deles que mantenham a aliança até o fim do seu governo

Da Redação

O governador Pedro Taques (PSDB), mandou um recado aos Democratas, que ensaiam abertamente o rompimento com os tucanos e preparam o lançamento de candidatura própria ao Governo do Estado. Questionado pela imprensa sobre a possibilidade de rompimento com o DEM, Taques relembrou uma frase dita pelo ex-senador Jayme Campos no ano passado, de que não seria candidato contra o governador e que “por essa cobra o governador não vai ser mordido”.

Para Taques, Jayme Campos não deve conduzir o DEM ao rompimento da aliança com os tucanos. O governador, no entanto, evita falar sobre seus planos eleitorais de forma clara. No entanto, ao "apertar o nó" das alianças que o conduziram ao cargo há quatro anos, deixa evidente que não desistiu de concorrer a reeleição.

“Eu só falo de eleição depois da canjica [depois da semana santa]. Mas o senador Jaime Campos pode ter certeza... Como ele disse, tenho amizade pelo Jaime, pelo Dilmar, pelo DEM há bastante tempo. Desta cobra ele também não será mordido”, afirmou.

A frase de Jayme Campos foi dito em um contexto diferente do atual. Na época, o ex-deputado federal Júlio Campos,disse que ele (Jayme) e o ex-prefeito de Cuiabá, Mauro Mendes, seriam os principais adversários de Taques na disputa pelo Palácio Paiaguás.

O próprio Jayme Campos explicou naquela ocasião que “talvez o ex-governador Júlio Campos tenha sido mal interpretado quando disse que eu e o ex-prefeito Mauro seríamos os ‘principais adversários’ do Taques. O que o Júlio quis dizer é que esses são nomes que possivelmente teriam ‘café no bule’, teriam cacife para essa disputa. Mas, pelo que consta, tanto eu quanto Mauro Mendes somos aliados do governador Pedro Taques”, comentou o ex-governador.

“É aquela velha história: por essa cobra o governador não vai ser mordido. Não tenho essa pretensão de ser concorrente de Pedro Taques. Nunca. Tenho compromisso na medida em que ele vem sendo nosso parceiro”, completou Jayme.

ROMPIMENTO COM O PSD

O governador Pedro Taques afirmou que ainda não foi comunicado oficialmente sobre a decisão do Partido Social Democrático (PSD) de entregar todos os cargos que possui junto ao Governo.

O gestor disse que, inclusive, chegou a conversar com o secretário de Ciência e Tecnologia, Domingos Savio (PSD), sobre o assunto.

“Não recebi nenhuma comunicação oficial do PSD, até porque eles não decidiram absolutamente nada oficial sobre isso. Inclusive, falei com o secretário Domingos Savio e ele manifestou desejo de permanecer no governo”, contou Taques durante ato de posse da primeira aprovada no concurso da Secretaria de Educação do Estado, realizado nesta terça-feira (27).

A decisão de entregar todos os cargos que possuem junto ao Executivo Estadual foi tomada na semana passada durante reunião da cúpula do PSD. Com isso, a legenda adota um posicionamento de independência no que tange ao governo.

Questionado sobre a relação com o vice-governador Carlos Fávaro (PSD) após a definição dos sociais democratas, o chefe do Executivo Estadual foi enfático e disse que continua tranquilo. “Relacionamento excelente, normal”, se limitou a dizer.

O vice-governador também garantiu que está tranquilo com o posicionamento da legenda e ainda disse que irá se reunir com o gestor tucano nos próximos dias para comunicá-lo oficialmente.

A indefinição da legenda em permanecer ou não na base de sustentação do governador Pedro Taques no pleito de outubro deste ano tem causado um racha na legenda.

Enquanto os deputados estaduais e outras lideranças da sigla defendem a continuidade da aliança com o tucano, outros correligionários apostam em candidatura própria e união com partidos que irão concorrer contra o atual chefe do Executivo Estadual.

Diante desse dilema, os deputados estadual Gilmar Fabris e Ondanir Bortolini, o “Nininho” analisam a possibilidade de deixar a legenda, uma vez que querem permanecer na base do gestor tucano na eleição de 2018. Por conta disso, Leonardo Albuquerque, inclusive, já migrou para o Solidariedade, aproveitando a abertura da janela partidária que se encerra no próximo dia 07.

(Com Diário de Cuiabá)


versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo