Geral

TRANSPORTE PÚBLICO 09/01/2018 09:16

Goteiras, falta de acessibilidade e infiltrações marcam estreia da Estação Alencastro, em Cuiabá

Um casal de cego e cadeirante viveram de perto a dificuldade de embarcar em um ônibus no novo ponto climatizado inaugurado na sexta-feira (07)

Da Redação

José Ribeiro entra assustado no meio do vai-e-vem da recém-inaugurada Estação Alencastro. O cadeirante de 50 anos visita pela primeira vez o equipamento público, cuja construção custou R$ 1,2 milhão aos cofres da Prefeitura de Cuiabá.

Ribeiro chega à Estação acompanhado da esposa, a deficiente visual Queila Auxiliadora, de 40 anos. Ao mesmo tempo em que guia a cadeira de rodas com as mãos, José orienta a mulher sobre o melhor caminho para chegar até o ônibus. Na confusão do local, no entanto, os dois tem dificuldade de se localizar.

Desde o início o casal já percebe a falta de acessibilidade na Estação. O principal desafio está em descer do ônibus. Há um vão entre os degraus do veículo e o pavimento da plataforma. Por conta disso, tanto os cadeirantes, quanto os deficientes visuais, precisam entrar pela porta de saída da estação.

“Primeiro eles sumiram com a minha mulher. Levaram ela lá para fora e nem me avisaram nada. Aí quando ela vai descer do ônibus tem um buraco, tem um vão que você não consegue passar”, comentou Ribeiro. “Assim fica difícil para nós dois”, completou a esposa.

Falta de visão

Até mesmo para aqueles com a visão saudável não é fácil saber quando o ônibus aguardado chega. Apesar do temporizador (que mede o tempo de chegada da linha até a estação), a estrutura do ponto climatizado impede que o usuário consiga ver o letreiro dos ônibus. Por conta disso, dois agentes da Secretaria de Mobilidade Urbana (Semob) orientam os passageiros.

Eles anunciam a linha do ônibus que acabou de chegar. De pé na frente das portas de vidro, os agentes apelidados de “amarelinhos” impedem que passageiros tentem entrar pela porta de saída, sem pagar passagem. Nem sempre a tática dá certo.

“O nosso papel aqui é orientar quem precisa. Tem sempre alguém que quer entrar por fora. A gente faz o que é dentro do possível, adverte a pessoa, mas se a pessoa não respeitar, nós não temos muito o que fazer, não somos seguranças”, falou um dos funcionários da Semob, que não quis se identificar.

A Prefeitura informou que a Estação Alencastro é um equipamento novo e que ainda está sendo adaptado. A presença destes funcionários, segundo nota enviada ao LIVRE, serve para "analisar o comportamento dos usuários, ouvi-los e, assim, promover as adequações necessárias". O período de "adaptação" deve durar pelo menos uma semana.

Goteiras e infiltrações

Críticas contra a Estação vieram também do meio político. No último domingo, um vídeo publicado por um vereador de Cuiabá mostra que goteiras e infiltrações se espalhavam pelo teto de gesso do ponto de ônibus climatizado. O vídeo já teve mais de 57 compartilhamentos em rede social.

Algumas partes do acabamento têm de fato infiltrações, mas com o fim da chuva de domingo as goteiras acabaram. A Prefeitura respondeu, por meio de nota, que a empresa responsável já foi notificada para averiguar o fato e promover o conserto necessário até esta terça-feira (9).

Opiniões divergentes

Apesar dos problemas pontuais, a Estação divide os cidadãos. Há quem acredite que o gasto foi exacerbado e que o valor poderia ser investido na mudança da frota dos ônibus. Enquanto outros defendem que, por conta da localização e do fluxo de pessoas, a obra é mais do que necessária.

“Eu achei bonito e legal o que foi feito, mas não adianta nada criar ponto aqui se nos bairros os ônibus estão todos sucateados, se a maioria dos ônibus não tem ar-condicionado... Quem mora na região do Osmar Cabral, por exemplo, passa muito mais tempo dentro dos ônibus”, falou a recepcionista Jackeline Aires, 33.

“Não tenho dúvida de que o preço para fazer foi alto sim, mas até agora pelo que eu vi eu estou gostando. O fato de ter ar-condicionado faz a espera ficar mais confortável”, comentou o atendente Gabriel Farias, 21, que usou a Estação Alencastro pela primeira vez.

Fonte: O Livre


versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo