Geral

EFEITOS DO CAMINHONAÇO 25/05/2018 14:55

Paralisação de caminhoneiros interrompe expediente no governo estadual

Nesta sexta-feira, órgãos públicos do estado como a Assembleia, TJMT, TCE e a Prefeitura de Cuiabá suspenderam o expediente depois de meio dia liberando servidores por causa da dificuldade de transporte público na cidade

Da Redação

O Governo do Estado suspendeu o expediente nesta sexta-feira, por conta da greve dos caminhoneiros na administração direta e indireta. De acordo com o decreto assinado pelo Governador Pedro Taques (PSDB), caberá aos dirigentes dos órgãos e entidades a preservação e o funcionamento dos serviços essenciais.

Taques justificou que a greve dos caminhoneiros que acontece em todo o país resultou num desabastecimento de combustível em todo o estado, “gerando transtornos nos transportes públicos e particulares”, além de desabastecimento em supermercados e desordens em outros segmentos. “A continuidade do expediente normal diante desse contexto contribuiria para o agravamento da situação, que afetam servidores e toda a população”, diz o decreto.

Medida semelhante foi tomada pela Assembleia Legislativa. Uma portaria, assinada pelo presidente da Casa, o deputado estadual Eduardo Botelho, determinou a suspensão do expediente após as 13h desta sexta-feira.

Outros órgãos públicos também fecharam as portas nesta sexta-feira, por conta da greve dos caminhoneiros. Entre eles, estão o Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT), Tribunal de Contas do Estado (TCE), além da Prefeitura de Cuiabá.

Em Mato Grosso, são 26 pontos de bloqueio nas estradas. Os caminhoneiros fazem uma série de reivindicações, entre elas a contenção do preço do óleo diesel. Um acordo entre o Governo Federal e lideranças da categoria chegou a ser anunciado na noite de quinta-feira, no Palácio do Planalto, mas os caminhões continuam parados nesta sexta.


versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo