Nacional

PERSEGUIÇÃO POLÍTICA 12/08/2017 09:10

"Lava Jato está funcionando como um partido político", afirma Lula

O ex-presidente Lula voltou a questionar a "seletividade" da Operação Lava Jato e diz que vai lutar para ser candidato à presidente em 2018 pelo Partido dos Trabalhadores

Da Redação

O ex-presidente Lula disse neste sábado, 12, no Rio de Janeiro, que "a lava jato está funcionando como um partido político. Já provei a minha inocência. Quero que comprovem que eu tenho R$ 1 que não seja meu". Lula participou da plenária da Central Única dos Trabalhadores (CUT.

Durante seu discurso para os sindicalistas, ex-presidente voltou a questionar a "seletividade" da Operação Lava Jato, e desafiou Justiça e Ministério Público a provar que ele é dono do emblemático triplex do Guarujá, pelo qual ele foi condenado mesmo sem provas de sua propriedade.

Segundo ele, sua disposição para a luta política segue inabalada. Lula garante que vai enfrentar toda a "perseguição que for necessária" para ser candidato nas eleições do próximo ano. "Vou brigar para ser candidato em 2018".

"Fico muito triste porque deram o golpe no país dizendo que o PT era a desgraça do Brasil. Os coxinhas agora não estão batendo mais panela, estão batendo a cabeça porque não sabem mais o que fazer. Precisamos ter consciência do que está acontecendo no Brasil. O objetivo das reformas é destruir aquilo que conquistamos. Querem destruir o PT para evitar que o Lula volte na eleição de 2018", disse o ex-presidente.

"Sou uma peça de uma máquina chamada povo brasileiro. Eu só sou o que sou pela evolução da consciência política do povo, que entendeu que pode melhorar de vida. Nós provamos que o Brasil pode ser grande. Por isso, tenho certeza que esse país pode voltar a sorrir e ser respeitado", disse o ex-presidente.

Lula bateu também na reforma da Previdência proposta por Michel Temer.

"A falta de dinheiro na previdência é resultado da falta de competência de quem está governando o país hoje. No nosso governo, o Brasil virou protagonista internacional. Passamos a ser respeitados. Lamento profundamente que a educação seja tratada como gasto e não como investimento na planilha do atual governo. Eles não querem que a gente prove que um metalúrgico possa fazer mais pelo povo do que todos os doutores que estão no Planalto", salientou Lula.

Lula relembrou os avanços e as conquistas sociais dos últimos 13 anos, como a geração de 22 milhões de empregos e aumento de 74% do salário mínimo, e afirmou que o trabalhador não pode ser responsabilizado pela falta de dinheiro da Previdência. "Nós provamos que sabemos cuidar do nosso povo. Durante o nosso governo, a previdência social foi superavitária pela quantidade de empregos que criamos. A falta de dinheiro na previdência é resultado da incompetência de quem está governando o país hoje", ressaltou. 

O ex-presidente lembrou ainda das 70 milhões de pessoas que conseguiram abrir uma conta no banco durante os governos do PT. "Para quem já tem, parece uma coisa normal. Mas, para um catador de papel que abre uma conta, é uma revolução e conquista de cidadania", afirmou Lula.

Os avanços em educação, como a construção de 18 novas universidades, 472 escolas técnicas e 123 extensões universitárias também foram citados pelo ex-presidente. "Lamento profundamente que a educação seja tratada como gasto e não como investimento na planilha do atual governo", disse.

Para Lula, a perseguição política e midiática da qual é vítima diariamente é para impedir sua candidatura nas próximas eleições. "Não querem que a gente prove que um metalúrgico sem diploma universitário possa fazer mais pelo povo do que todos os doutores que estão no Planalto. Eu gostaria de ter diploma, mas tenho um diploma que eles não vão aprender na universidade, que é conhecer a alma do nosso povo e conversar de igual para igual. Por isso, vou voltar a viajar o país no próximo dia 17. Não sei quanto tempo tenho de vida, mas vou brigar para ser candidato em 2018 e melhorar a vida do povo brasileiro", finalizou.

 


versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo