Nacional

GOLPISTA EM FUGA 01/05/2018 08:22

Povo escorraça Temer de local de tragédia em São Paulo

Michel Temer foi retirado apressadamente pela segurança do local do incêndio que atingiu dois prédios e o desabamento de um deles no Largo do Paissandu, centro de São Paulo

Da Redação

Com Web

Sem noção ou fora da realidade que o cerca, o ilegitimo presidente Michel Temer (MDB),o político mais rejeitado da história do Brasil, resolveu dar as caras no local do incêndio que atingiu dois prédios no centro de São Paulo e o desabamento de um deles na madrugada desta terça-feira (1º).

O objetivo da visita de Michel Temer era, segundo ele, prestar solidariedade e apoio às vítimas da tragédia. "Eu não poderia deixar de vir aqui, sem embargo dessas manifestações, porque, afinal, eu estava em São Paulo e ficaria muito mal eu não comparecer aqui para dar exatamente para apoio àqueles que perderam, enfim, suas casas", comentou, em um rápido pronunciamento à imprensa.

No entanto, nem a dor e a comoção conseguiram frear a antipatia ao peemedebista. Literalmente ele foi colocado pra correr do local.

Temer chegou por volta das 10h. Bastou descer do carro preto para ser cercado pela imprensa e ao abrir a boca pra dizer que estava ali para prestar apoio às vítimas, a reação popular foi imediata. Vaias, xingamentos, gritos de 'golpista' e até arremesso de objetos contra a comitiva presidencial.

A segurança agiu rapidamente e Temer foi logo retirado do local.

O prédio pertence à União e sediou a antiga superintendência da Policia Federal. Abandonado durante muitos anos, o prédio acabou ocupado por famílias sem teto.

O edifício de 24 andares desabou por volta das 2h20 desta terça-feira (1º) depois de pegar fogo. Há ao menos uma pessoa desaparecida. Cerca de 248 pessoas foram encaminhadas pela Prefeitura de São Paulo para abrigos municipais. Elas integram 92 famílias, que já receberam acolhimento e alimentação por meio da Secretaria de Assistência e Desenvolvimento Social.

Em março, a secretaria havia cadastrado cerca de 150 famílias, com 400 pessoas, no prédio. Desse total, 25% eram famílias estrangeiras. O governador do Estado, Márcio França, esteve no local por volta das 5h e disse que, após a contenção do fogo, cães farejadores serão empregados na busca por sobreviventes em meio aos destroços. "É uma tragédia anunciada Tem muita estrutura metálica, muito lixo que é jogado no fosso dos elevadores", disse França. "É um prédio que não tem a mínima condição de moradia. A União não podia ter deixado ocorrer essa ocupação."


versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo