Nacional

LULA LIVRE 11/05/2018 18:05

Coletivo de jornalistas de esquerda exige libertação de Lula em manifesto nacional

Com um texto duro e incisivo, o Coletivo de Jornalistas de Luta pela Democracia, Liberdade e Justiça, condena o golpe que destituiu a presidenta eleita legitimamente Dilma Roussef e alerta ministros do STJ e do STF para o risco de uma guerra civil no país caso insistam em mater Lula como preso político

Da Redação

Na contramão da parcela dos profissionais de imprensa que assumiram uma postura de subserviência à onda direitista, um grupo de jornalistas de esquerda que atua em Mato Grosso, em outras regiões do país e mesmo no exterior, reunidos no Coletivo Jornalistas de Luta pela Democracia, Liberdade e Justiça, lançou em um movimento nacional, um manifesto público em que exigem a libertação imediata do ex-presidente Luis Inácio lula da Silva.

Com um texto duro e incisivo, o Coletivo de Jornalistas de Luta pela Democracia, Liberdade e Justiça, condena o golpe que destituiu a presidenta eleita legitimamente, Dilma Rousseff, sem que esta tenha cometido qualquer crime de responsabilidade. O coletivo alerta ainda em seu manifesto, os ministros do Supremo Tribunal Federal e do Superior Tribunal de Justiça para os riscos de um esgarçamento irremediável do pacto social no Brasil e o consequente fim da legitimidade dos atos praticados por estas instituições caso insistam em manter Lula como preso político, o que pode deflagrar um estado de guerra franca entre a sociedade civil organizada em seus vários segmentos populares e as forças de repressão do aparato estatal.

O manifesto foi publicado e vem circulando em espiral crescente nas redes sociais. Leia abaixo o texto integral do manifesto.

MANIFESTO PÚBLICO
 
Jornalistas de Luta Por Justiça, Liberdade e Democracia
 
EXIGIMOS LULA LIVRE, JÁ!
 
Nós, jornalistas profissionais atuantes em Mato Grosso e em outros territórios do Brasil, reunidos no Coletivo Jornalistas de Luta por Democracia, Liberdade e Justiça, vimos por meio desta nos posicionar perante a sociedade brasileira quanto a condenação e prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva como segue:
 
A) Consideramos a condenação e a prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva um ato de violência política, uma ação ilegal e sem amparo constitucional, configurando-se em uma medida de exceção inaceitável;
B) Consideramos a atuação dos senhores magistrados Sérgio Fernando Moro, da 13ª Vara Federal de Curitiba (PR); João Pedro Gebran Neto, Leandro Paulsen, Victor Luiz dos Santos Laus, desembargadores integrantes da 8ª Turma do Tribunal Regional Federal da 4ª Região sediado em­ Porto Alegre (RS), em relação ao processo referente ao Caso Triplex, uma articulação criminosa e PARTIDÁRIA, com fito claramente político de suprimir a liberdade do ex-presidente;
C) Consideramos ainda que a perseguição judicial movida contra Lula e o PT pela Força Tarefa do Ministério Público Federal (MPF), liderado pelos procuradores Deltan Martinazzo Dallagnol e Carlos Fernando dos Santos Lima, Polícia Federal e pelo juiz de piso Sérgio Moro, com aberto apoio de veículos de imprensa tradicional como a Rede Globo (e afiliadas), O Globo, GloboNews, Folha de São Paulo, O Estado de S. Paulo, Veja, Época e IstoÉ, Record, Bandeirantes e SBT, entre outros, e sob as vistas cúmplices do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Supremo Tribunal Federal (STF), Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Conselho Nacional de Justiça (CNJ), Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP), bem como de parte significativa do Poder Legislativo, configuram um rompimento evidente do Pacto Social Democrático, a demolição do Estado de Direito e o esgarçamento da legitimidade da Constituição Federal de 1988, caracterizando, portanto, a vigência no país de um Estado Ditatorial Parlamentar-Jurídico e Midiático;
 
1) Diante destes fatos e constatações, nós, cidadãos reunidos no coletivo Jornalistas de Luta Por Democracia, Liberdade e Justiça, EXIGIMOS a IMEDIATA LIBERTAÇÃO do senhor Luiz Inácio Lula da Silva do cárcere da Polícia Federal em Curitiba;
 
2) Declaramos nosso incondicional apoio às mobilizações e ações dos movimentos sociais, partidos políticos de esquerda e demais grupos organizados de cidadãos do Brasil e do Mundo que atuam em favor da liberdade para o ex-presidente Lula;
 
3) Alertamos ainda para os riscos da instalação no país de um conflito sangrento entre as forças populares e as corporações de repressão policial e militar sob controle dos Governos Estaduais e Federal caso não sejam adotadas prontamente medidas corretivas aos atos de violência político-jurídica contra o ex-presidente Lula, algo abominável, indesejável e ainda plenamente possível de ser evitado;
 
4) Por fim, exortamos os senhores membros do Poder Judiciário, notadamente aos ministros do STJ e do STF, a quem compete respectivamente analisar os recursos pendentes e vindouros da defesa do ex-presidente Lula, bem como resguardar os preceitos da Constituição Federal Brasileira, que o façam imbuídos do mais elevado Espírito de Justiça, clareza hermenêutica e imparcialidade republicana que se espera de quem ocupa tão elevada posição de Poder Moderador e de Guardião dos Direitos e Deveres dos Cidadãos Brasileiros, sob pena de, agindo ao contrário, atraírem para si e os seus o implacável desprezo da maioria do povo – e suas consequências imediatas -, a condenação histórica e a incineração de suas biografias
 
Assinam o presente manifesto:
Antonio P. Pacheco , Ailton Segura , Mario Hashimoto, Itamar Perenha, Silvia Marques Calicchio, João Bosquo, Enock Cavalcanti, Gibran Lachowski, Daniel Dino, Teo Menezes, Magda Matos, Marcela Brito, Márcio Coene, Volney Albano, Roseli Riechelmann, Tarley Carvalho, Robson Fraga, Vinicius Souza, Beatriz Barbosa Parker, Mario Marcio Torres, Geremias Santos, João Negrão da Silva, Najla Passos


versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo