Nacional

BIRUTA DE AEROPORTO 20/07/2018 07:44

Ciro fracassa ao buscar aliados na direita e volta a assediar a esquerda

Depois de receber porta na cara dos partidos da direita golpista, Ciro Gomes, feito biruta de aeroporto soprada pelo vento, volta correndo para assediar partidos da esquerda e evitar polarização entre Lula e algum candidato demo-tucano

Da Redação

O pré-candidato do PDT à presidencia da República, Ciro Gomes, definitivamente é um biruta. Um biruta de aeroporto, que gira ao sabor do vento. O político, que vem batendo de porta em porta nos partidos da direita em busca de apoios, só tem levado "nãos". O último "passa fora" recebido pelo pedetista foi dado pelos partidos DEM, PP, PTB e PR, que acabaram optando por apoiarem a pré candidatura de um dos seus, Geraldo Alckmin, do PSDB.

Ciro vinha conversando abertamente com os golpistas, inclusive, adiantando a manutenção de medidas implementadas pelo  governo do golpe de 2016, como a reforma trabalhista, ao menos em parte.

Mesmo sabendo da rejeição já declarada do PT à uma aliança em que Lula teria necessariamente que assumir um papel secundário no processo eleitoral, Ciro voltou a alimentar esperanças nesse sentido. É o que revela o discurso que ele passou a esgrimir tão logo soube do alinhamento dos partidos reunidos no chamado "centrão" fisiológico com o projeto tucano.

No discurso, Ciro Gomes acena claramente para o PCdoB e PSB, alternativas que ele entende pode tira-lo de um isolamento em função da possivel polarização entre Lula e a direita reunida em torno do ex-governador de São Paulo.

Ciro, que vinha se mantendo mudo e surdo para o drama da prisão política do ex-presidente Lula, de repente, passou a defender a liberdade do líder das pesquisas para Presidente e do maior partido de esquerda nas Américas, o PT. E ainda criticou o Judiciário, instituição que claramente aderiu ao golpe e assumiu aos olhos do mundo o papel de algoz e perseguidor de Lula.

"O Brasil nunca será um país em paz enquanto o companheiro Luiz Inácio Lula da Silva não restaurar a sua liberdade. Eu luto por isso", disse, durante encontro com dirigentes sindicais.

O presidenciável ainda admitiu cometer erros. "Eu não sou o dono da verdade, não sou poupado do erro, eu cometo erros. Eu cometo erros e não me custa nada reconhecer erros. Mas nenhum deles foi por deserção do que me trouxe à vida pública de volta, que é compromisso e o amor a essa terra e esse povo", disse.

Ao PT, PCdoB, PSol e PSB caberá avaliar se o discurso de Ciro é verdadeiro ou se não passa de visgo doce para atrair colibri ingênuo e abelha cega.


versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo