Nacional

PRESO POLÍTICO 09/08/2018 19:14

Excluído de debate, Lula diz que está sendo censurado

Desembargadora Cláudia Cristina Cristofani, do TRF-4, negou nesta quinta-feira,09, mandado de segurança impetrado pelo PT que pedia a participação do seu candidato a presidente, Luiz Inácio Lula da Silva, no debate com presidenciáveis realizado nesta noite pela TV Bandeirantes

Brasil 247 

Excluído pelo Judiciário do primeiro debate presidencial das eleições de 2018, transmitido pela TV Band às 22h de quinta-feira,09, o ex-presidente Lula enviou uma carta à emissora denunciando censura. Leia a íntegra:

 "A decisão de me excluir do debate entre os presidenciáveis, promovido pela Band, viola o direito do povo brasileiro e também dos outros candidatos de discutir as propostas da minha candidatura e até de me criticarem olhando na minha frente e eu tendo o direito de responder.

A candidatura que lidera as pesquisas é impedida de debater com as demais suas propostas e ideias defendidas por milhões de brasileiros.

Viola também a liberdade de imprensa, impedindo que um veículo de comunicação cumpra seu dever de informar e proibindo o público de exercer seu direito de ser informado. O nome disso é censura.

Sou candidato porque não cometi nenhum crime e tenho compromisso com este povo que, em 2010, ao final de meu mandato, concedeu-me o maior índice de aprovação de um presidente na história deste país, com 87% de avaliação positiva.

O Brasil precisa debater seu futuro de forma democrática. Ter eleições onde o povo, que já viveu dias melhores em um passado recente, possa escolher que caminho quer para o país, com a participação de todas as forças políticas da nação.

Luiz Inácio Lula da Silva"

O PT havia entrado na quarta-feira com um mandado de segurança, recurso que busca combater eventuais violações referentes a uma decisão já tomada, para questionar a decisão da juíza Bianca Georgia Cruz Arenhart, que também havia negado, na segunda,06, a participação de Lula no debate da Band.

O pedido dos advogados dizia que o debate é um "evento essencial para a campanha eleitoral" em que há "a possibilidade de mostrar suas propostas para o eleitorado e, ao fim e ao cabo, dar a ele condições de decidir qual o plano de país que quer".

No entanto, a desembargadora Cláudia Cristina Cristofani, do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), negou mandado de segurança alegando que o Partido dos Trabalhadores, autor do pedido, não teria legitimidade para propor a medida em nome de Lula, e que o instrumento correto ao caso seria um agravo regimental e não o habeas corpus.


versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo