Pauta Jurídica

CRIME EM COLNIZA 12/01/2018 10:44

Presa por assassinato de prefeito de Colniza, médica é denunciada por usar documento falso de especialização em pediatria

Da Redação

O Ministério Público Estadual, por meio do promotor Willian Oguido Ogama, da Promotoria de Justiça de Colniza, ofereceu denúncia contra a médica Yana Fois Coelho Alvarenga, acusada de participar do assassinato do prefeito de Colniza (1.080 km de Cuiabá), por uso de documento público falso para atestar uma suposta residência médica.

Segundo consta na denúncia feita pelo MPE, em meados de fevereiro de 2015, no Hospital André Maggi, no Município de Colniza, Yana entregou para um médico que também trabalhava no Hospital Municipal, um certificado falso de conclusão de residência médica na especialidade de pediatria da Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina.

A falsidade do documento foi constatada após autoridades policiais confirmarem com o  Coordenador-Geral da Comissão de Residência Médica (COREME) da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, que a médica não consta nos registros de residência.

Diante dos fatos, o MPE abriu uma denúncia contra a médica para investigar afundo os fatos e ouvir quatro testemunhas citadas na portaria.

O MPE também mandou notificar a prefeitura de Colniza para que proceda a anulação do contrato administrativo relacionado à prestação de serviços clínicos envolvendo a médica.

De acordo com a notificação, antes de ser assassinado, o prefeito municipal informou ao Ministério Público, de maneira informal, que não assinaria eventual contrato envolvendo a suspeita, uma vez que convocaria servidores concursados.

Além disso, já existe liminar, nos autos da ação civil pública, proposta pelo MP, (autos n. 2877-47.2016 Cód. 75735), que proíbe a contratação temporária em detrimento da regra constitucional da realização de concurso público.

Segundo informações no edital do resultado final do concurso público nº 001/2017, da Prefeitura de Colniza, a médica foi desclassificada do certame, por não ter obtido a nota de corte para os cargos de médico clínico geral.

A médica é mulher do empresário Antônio Pereira Rodrigues, apontado como mandante do homicídio.

Ela está presa desde o dia 26 de dezembro na Penitenciária Ana Maria do Couto May, em Cuiabá.

O prefeito foi assassinado quando voltava da zona rural do município.

Ele foi perseguido pelos suspeitos que estavam em um SUV de cor preta. Com informações do MPE/MT. Com informações do MPE.

Fonte: Mato Grosso Mais


versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo