Polícia

CASO VIVIANE 07/03/2018 08:57

Polícia prende acusado de mandar matar jovem grávida em Cuiabá

Policiais civis prenderam por ordem da Justiça, Mateus Rodrigues Pinto, o "Batata", ex-namorado de Viviane da Silva Ângelo, que estava grávida de sete meses

Da Redação

Foi preso na manhã desta quarta-feira, o jovem Mateus Rodrigues Pinto, 19 anos, mais conhecido como "Batata", sob a acusação de ser o mandante do assassinato brutal de Viviane da Silva Ângelo, de 18 anos, grávida de sete meses. Mateus é ex-namorado de Viviane, de quem tinha ciúmes por seu envolvimento com outro rapaz e ter amizade com integrantes de gangues da região do Grande CPA.

O envolvimento de Mateus no crime foi indicado pelo moto-taxista Reinaldo, um dos homens degolados pela facção criminosa. Em vídeo divulgado pelos executores, o mototaxista disse que Viviane recebeu uma ligação de Mateus pedindo que fossse encontra-lo numa chácara na região da Ponte de Ferro, onde a jovem acabou sendo assassinada a pancadas na cabeça e teve a pele do rosto arrancanda com um estilete.

O acusado de ordenar a morte da jovem grávida foi detido em cumprimento de mandado de prisão. Ele foi localizado pela equipe de agentes da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) na casa de sua atual namorada, no bairro Quilombo, em Cuiabá.

A prisão aconteceu dentro da Operação MAAT, desencadeada para prender vários acusados de feminicídio em Cuiabá e Várzea Grande. Além de Mateus, também foi detida a sua namorada, cujo nome não foi divulgado pela polícia. Outros dois suspeitos com mandados de prisão continuam sendo procurados.

A operação está sendo conduzida pela delegada Juliana Chiquito Palhares.

Caso Vanessa

Outro acusado de feminicídio procurado pelas equipes da DHPP e do Grupo de Operações Especiais (GOE), é Maykon Júnior da Silva Dantas, o "Japão", 30 anos. Ele é apontando como o autor do assassinato de sua namorada, Vanessa Tito Poquiviqui Ramos, 21 anos. Japão, que tem passagens anteriores pela Polícia, usava tornozeleira eletrônica e matou Vanessa asfixiada, tendo filmado o próprio crime. 

O crime foi cometido no dia 31 de janeiro dentro da casa da vítima, no bairro Três Barras. Depois de matar a namorada, ele retirou a tornozeleira e fugiu. Maycon já respondia a processo por violência doméstica contra a namorada.

Ele tinha sido preso em outubro no ano passado, acusado de agressão, mas foi solto em liberdade condicional, passando a ser monitorado por tornozeleira eletrônica. "Japão" também chegou a cumprir cumprir pena alternativa por três meses, prestando serviços à Associação Espírita Wantuil de Freitas, na capital.

Levantramento divulgado pela Polícia Civilm revela que em 2017, Cuiabá e Várzea Grande registraram nada menos que 22 assassinatos de mulheres. Destes casos, sete foram classificados como feminicídio, quando a morte da vítima é decorrência clara de sua condição de gênero feminino. A Operação MAAT é considerada uma das maiores para busca de criminosos que cometeram feminicídio em Cuiabá em 2018. 

Maycon "Japão" Júnior da Silva Dantas, matou a namorada e filmou o crime.

 


versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo