Polícia

OPERAÇÃO POLICIAL 12/05/2018 08:06

Membro de facção e traficantes são presos durante operação integrada

Foram cumpridos 11 mandados judiciais de busca e apreensão para desbaratar atuação de facções que agem na região metropolitana da capital

Da Redação

Duas pessoas foram presas, e um menor apreendido, durante deflagração nesta sexta-feira,11 da terceira fase da operação Panóptico Integrada, da Polícia Civil, por meio da Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO), e Polícia Militar.

Foram cumpridos 11 mandados judiciais de busca e apreensão na Capital, nos bairros Jardim Vitória, Dr Fábio, Novo Paraíso, Jardim Imperatriz e 1º de março, visando coletar informações sobre facções criminosas que agem na região metropolitana.

Durante os trabalhos foram conduzidas três pessoas à GCCO. Duas delas autuadas por tráfico de drogas e uma terceira com fortes indícios de envolvimento em facção criminosa.

Foram encontrados e apreendidos diversos materiais, como aparelhos celulares, cadernos de anotação, pendrive, etc, que serão objeto de análise.

A operação contou com apoio da Delegacia Especializada de Entorpecente (DRE), Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) e Gerência de Operações Especiais (GOE).

As informações coletadas na operação vão ser somadas aos dados já reunidos em fases anteriores para planejamento e combate a facções criminosas que atuam dentro e fora dos presídios, arquitetando a prática de crimes diversos em todo Estado de Mato Grosso.

PARCERIA COM A PF

O combate à atuiação de facções criminosas em Mato Grosso conta também com a parceria com a Polícia Federal, que foi ampliada. Uma equipe de policiais federais tem atuado no tratamento dos dados, em parceria com policiais civis e com apoio da PM. O delegado-regional de Combate ao Crime Organizado da PF, Ricardo Ruiz, frisou que esta atuação conjunta já existe em alguns estados, como Minas Gerais, Rio de Janeiro e Ceará. “Fornecemos aparato humano e tecnológico, com vistas a fortalecer o combate a este tipo de crime e tratar estas informações de modo a identificar, inclusive, possíveis ligações de facções locais com outros grupos de âmbito nacional”.

Para melhorar a segurança no sistema prisional do estado, o secretário de Estado de Justiça e Direitos Humanos, Fausto de Freitas, afirmou que este ano o órgão já iniciou o processo de compra de scanner corporal, além de ter adotado medidas para evitar a entrada de equipamentos , armas, telefones celulares e drogas nos presidios. “Intensificamos as revistas em todos os raios da Penitenciária Central do Estado (PCE), que é a maior de Mato Grosso. Além de coibir o uso de aparelho celular, o material apreendido pode auxiliar na questão probatória e contribuir com as investigações”.  

Os dados coletados nesta operação vão contribuir para o combate a facções criminosas que atuam dentro e fora dos presídios na prática de diversos crimes, como tráfico de drogas, atentados a membros e órgãos públicos, crimes patrimoniais (roubos e furtos a residências, comércios e veículos), homicídios, explosão de caixas eletrônicos e outros.


versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo