Polícia

TRAGÉDIA 03/06/2018 10:06

Travesti é executada a tiros no interior e polícia não tem pistas de criminoso

O bar já estava fechado quando vizinhos ouviram o som de tiros e chamaram a polícia. Britney foi encontrada caída pelo lado de dentro do portão do estabelecimento, o corpo crivado de balas

Da Redação

A polícia de Colniza (1.066 km de Cuiabá) ainda não tem pista do homem que assassinou à tiros o comerciante Marcelo Machado, de 33 anos, que era travesti e usava o nome social de "Britney". O crime aconteceu no bar da travesti, na madrugada deste domingo, 03.

Bastante conhecida na cidade, Britney aparentemente não tinha inimigos e a brutalidade do crime chocou os conhecidos e vizinhos de seu bar. O local era ponto de encontro de homossexuais.

Segundo o boletim de ocorrências, a polícia foi chamada até o local após testemunhas ouvirem o barulho dos disparos. No entanto, os policiais encontraram Britney já sem vida e o local deserto.

A vítima foi atingida por vários tiros de arma de fogo cujo calibre ainda não foi determinado.  Uma ambulância do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi chamada, mas os médicos nada puderam fazer além de constar o óbito.

Uma pessoa que havia sido vista no bar horas antes do assassinato foi apontada como suspeita e chegou a ser levada para prestar depoimentos pela polícia, mas acabou liberada por não ter sido encontrado indícios de seu envolvimento no crime.

A polícia trabalha com várias linhas de investigação. Não está descartado que o crime tenha relação com homofobia, vingança ou acerto de contas.

Até o início da tarde deste domingo não havia nenhuma informação sobre a motivação do crime ou se alguém já tinha sido identificado ou preso pelo assassinato.


versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo