Política Estadual

ELEIÇÕES 2018 25/01/2018 11:07

Mauro nega compromisso com Taques e sinaliza candidatura em Mato Grosso

Ex-prefeito afirma que alianças são revistas a cada 4 anos, de acordo com performance de gestores.

Da Redação

O ex-prefeito de Cuiabá, Mauro Mendes (PSB), negou a existência de um “acordo de palavras” com o governador Pedro Taques (PSDB) para as eleições de 2018. Segundo o socialista, o compromisso com o chefe do executivo é até o final do mandato e que, a reedição da aliança, ainda passará por avaliações e conversas.

A declaração de Mauro ocorre dois dias após o governador Pedro Taques ter dito que “confia na palavra” de Mauro. Na última terça-feira, o chefe do executivo estadual lembrou que “apanhou” dentro do PSDB para que a sigla apoiasse a reeleição do socialista, que acabou recuando do projeto às vésperas das convenções partidárias.

“Nunca conversei com governador sobre a  eleição de 2018, de um eventual apoio ou não, de uma participação conjunta. Essa conversa nunca existiu”, colocou o ex-prefeito em entrevista a Rádio Capital FM.

O ex-prefeito assinalou que não existe, ao firmar apoio numa disputa eleitoral, o acordo imediato de parceria para a reeleição, como cogitou Pedro Taques. Segundo ele, as análises precisam ser feitas para determinar a manutenção, ou não, da aliança.

“2018 é novo cenário. Nunca ninguém fez compromisso de me apoiar em 2012 e ter obrigação de me apoiar em 2016 novamente. É assim com Pedro Taques, é assim com qualquer um. Terminando esse mandato, as pessoas tem todo direito de analisar o cenário, analisar a performance de Mauro Mendes, de Pedro Taques, dos 24 deputados estaduais, dos 8 federais e dos nossos senadores e saber se essa pessoa merece voto novamente e merece apoio novamente”, frisou.

Segundo Mauro, o comportamento do gestor ao longo dos quatro anos de mandato é determinante para as definições das alianças. “Por isso que o mandato é de 4 anos, para o cara mostrar serviço, mostrar resultado e aí voltar e pedir o apoio e voto novamente”, assinala.

Sem descartar a possibilidade de disputar o Governo, o empresário comentou sobre as definições de seu futuro político. Ele disse que a definição ocorrerá "sem pressa", porém bem antes do prazo final para as convenções partidárias.

Mauro disse que a definição deve ocorrer com certa antecedência porque a campanha é reduzida e suas propostas devem chegar de maneira rápida ao cidadão. “Seguramente não vai ser no começo de agosto, não vai ser em junho ou julho. Vai ser muito antes e eu certamente direi ao meu grupo se estou disposto ou não para ser uma destas alternativas dentro de todos os cargos que estão disponíveis para ser disputados”.

PP OU DEM

Na entrevista, Mauro Mendes confirmou que deve aderir ao PP ou ao DEM nos próximos dias. Em litígio com o PSB, desde a filiação de Valtenir Pereira a legenda, tem diálogos avançados com os dois partidos para se filiar.

“Existem duas alternativas claras, a mais próxima é o DEM, mas existem conversas com algumas pessoas ligas ao PP. Um desses dois partidos, em fevereiro ou março, ter uma nova filiação partidária”.

Fonte: Folhamax


versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo