Reportagens Especiais

MOSQUITO MORTAL 28/02/2016 15:44

Zika virus causa destruição em massa de neurônios dos bebês durante gestação

Micro-organismo parece atacar neurônios com mais intensidade que células de outros órgãos

Ana Azevedo

O Globo

 O bebê viveu apenas cerca de cinco minutos após nascer de uma gestação de sete meses. A mãe entrou em trabalho de parto e este foi, então, induzido. A criança sofria de microcefalia e ventriculomegalia severas. Seu cérebro havia sido praticamente destruído. As malformações nos membros eram tão sérias, que lhe faltavam os ossos longos de braços e pernas. Não tinha esôfago. Sua traqueia era quase inexistente.

A tragédia dessa mãe e de seu bebê aconteceu em novembro de 2015, em Fortaleza, no Ceará. Uma tragédia que se tornaria a de todo o Brasil, o chamado caso-índice, que deflagrou a emergência para a microcefalia e distúrbios do sistema nervoso central associados ao zika.

A mãe foi infectada no segundo mês de gestação, e a criança nasceu com o zika. O vírus foi isolado ativo de tecidos de seu cérebro pela equipe de Pedro Fernando da Costa Vasconcelos, diretor do Instituto Evandro Chagas, no Pará. A descrição científica do caso será publicada em breve numa revista acadêmica internacional. "Estamos certos de que praticamente respondemos à dúvida sobre se é o zika que causa toda a destruição do sistema nervoso. Eu não tenho dúvidas de que ele causa essas lesões", afirma o cientista.

O que move cientistas como Pedro Vasconcelos é o assombro com os danos no sistema nervoso central associados à infecção pelo zika: "O que temos visto em amostras do cérebro de fetos é uma maciça destruição de neurônios."

O zika parece ter o que a ciência chama de tropismo por neurônios. Ou seja, ele afeta preferencialmente essas células nobres do sistema nervoso: "Já encontramos o zika no baço, nos rins, nos pulmões, no coração e no fígado dos mortos. Ele parece ter a capacidade de invadir diferentes tipos de células, de diferentes órgãos. Porém, as lesões no sistema nervoso central são muito mais graves, com diminuição e destruição do cérebro."

Vasconcelos e sua equipe analisaram tanto amostras de tecidos de fetos quanto das pessoas que morreram de complicações neurológicas associadas ao zika. "Pessoalmente, nunca vi um vírus causar destruição tão intensa, lesões tão graves no sistema nervoso central. Talvez a encefalite japonesa, o Rocio e o vírus da febre do Oeste do Nilo, todos flavivírus como o zika, provoquem danos assim. Mas eu nunca vi", diz o virologista, um dos mais experientes especialistas em arbovírus (classificação que inclui flavivírus) do mundo.

AINDA HÁ MUITAS DÚVIDAS

Para ele, o zika é o grande culpado de casos de severas malformações: "O zika é o responsável pela maioria dos casos de microcefalia e outros distúrbios do sistema nervoso central. A microcefalia é mais visível, mas existem lesões ainda mais devastadoras."

Vasconcelos se preocupa com a gravidade e as dúvidas sobre o vírus. Os mecanismos que ele usa para invadir o corpo humano são misteriosos: "Esse vírus atravessa a placenta, que é uma barreira espetacular. Atravessa também a barreira que protege o cérebro. Como ele atua em diferentes células? Por que é tão agressivo nos neurônios? Como ele os mata? A gente responde a uma pergunta e surgem outras duas ou três."


versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo