Turismo

07/03/2015 17:20

Viagem - A escolha do destino certo depende do perfil do turista

Tarcila Ferro
Revista Viajar
Em um passado não muito distante, uma pessoa interessada em viajar procurava uma agência e escolhia um pacote turístico de seu interesse. Assinava um contrato, pagava e ficava ansiosa à espera do grande dia chegar. Com o boom da internet, que abriu a possibilidade de comprar passagens aéreas, reservar hotéis e alugar carro diretamente com quem oferece os serviços, a maneira de consumir turismo mudou. Resultado: tornou-se mais fácil viajar por conta própria.
Apesar da mudança, a venda de pacotes por agências e operadoras não desacelerou. Isso é o que mostra o Boletim de Desempenho Econômico do Turismo, desenvolvido pelo Ministério do Turismo e pela Fundação Getúlio Vargas, que aponta que o setor de turismo está, desde 2009, em uma boa maré. Para se ter uma ideia, empresas como a CVC chegam a vender 10 mil pacotes em apenas um dia. O que isso representa? Que os brasileiros estão viajando cada vez mais, seja contratando o serviço de uma agência, seja de forma independente.
Comprar pacotes é um modo mais econômico e prático de 
viajar, mas "engessa" o turista em roteiros prévios
 limitantes
Em sua primeira viagem à Europa, a professora Regina Barbanti optou pela compra de um pacote. ?Além do preço atraente, escolhi pela comodidade da empresa resolver questões de reservas de hotéis e passagens. Também me senti mais segura viajando dessa maneira?, comenta.
Para Valter Patriani, vice-presidente de vendas, produtos e marketing da CVC, ?o cliente tem como principais vantagens a garantia de qualidade, economia e assistência antes, durante e após a viagem. Por negociar grandes volumes, conseguimos valores vantajosos?.
Comodidade e segurança são dois pontos chaves para quem busca os serviços de uma agência. ?Com uma empresa no planejamento e na organização, o passageiro ganha tempo para desfrutar melhor o destino e recebe orientação e assistência em caso de eventuais problemas?, explica Lucila Nedelciu, proprietária da operadora Raidho. A empresária dá como exemplo um caso que aconteceu com um de seus clientes. ?Na conexão em Santiago do Chile, um casal que estava em lua de mel, com destino à Polinésia, atrasou-se para voltar ao aeroporto. Acabaram perdendo o voo que só tem uma saída por semana. Corremos pararesolver o problema e conseguimos encaixá-los em um avião para Los Angeles e de lá eles seguiram para a Polinésia?, explica.
O engenheiro Luiz César Gomes, que já visitou mais de 140 países e acabou fazendo das viagens um estilo de vida, diz que já comprou muitos pacotes, especialmente, quando estava começando. ?Contratei muitos serviços de agência. Hoje, dependendo do lugar, ainda uso, mas prefiro pesquisar na internet os melhores preços e montar o meu roteiro?, comenta o engenheiro que tem em sua vasta lista de locais visitados países como Uzbequistão, Tajiquistão, Paquistão e Afeganistão.
Trocando em miúdos, não há uma regra para escolher a melhor forma de conhecer o mundo. O que conta mesmo é o perfil do viajante e o tipo de viagem que ele pretende fazer.
 O perfil do viajante é que deve determinar onde é o melhor lugar
 para se visitar, do contrário, nenhuma viagem será prazerosa
As AGÊNCIAS valem a pena para os turistas que buscam flexibilidade no roteiro e bom preço, mas querem a comodidade de uma empresa que resolva o aéreo, reservas em hotel e, principalmente, possa dar suporte em caso de algum imprevisto. Principais pontos positivos:
1) Preço é um fator a se considerar na hora de escolher um pacote. As operatoras e agências de turismo costumam fazer acordos com companhias e hotéis para conseguir melhores tarifas. Elas fazem bloqueios de assentos nas aeronaves (às vezes optam pelo fretamento) e de quartos de hotéis, conseguindo valores menores
2) Ao passageiro cabe apenas escolher qual hotel deseja, dentre as opções oferecidas pelo agente
3) Em geral, há um city tour incluso e você pode adquirir outros passeios (pagos à parte)
se interessar
4) Como há muito tempo livre nos pacotes, o viajante tem a chance de explorar locais que fogem do padrão, treinar outro idioma e conhecer pessoas de várias partes do mundo
5) A mesma regra vale para restaurantes e bares: dá para conhecer os locais mais frequentados pelos moradores do local
6) Ajuda para resolver imprevistos como perdas de passaportes, furtos, acidentes, problemas de saúde, atraso ou cancelamento de voos, entre outros
7) Dependendo do destino, muitas oferecem guias que falam português. O que pode ser um alívio em locais de difícil comunicação.
8) Os pacotes costumam ser a única opção disponível para os atrasadinhos que resolvem viajar de última hora em feriados, por exemplo. Quem já tentou sabe: é quase uma missão impossível conseguir uma boa tarifa de hotel ou passagem procurando sozinho e, em cima da hora, nessas épocas
Viagens em grupo: uma alternativa para quem não gosta
de viajar sozinho e para quem deseja conhecer vários 
ugares gastando pouco e em pouco tempo
As EXCURSÕES valem a pena para os turistas que desejam conhecer vários lugares, não dispõem de muito tempo e preferem que a agência monte todo o itinerário e planejamento da viagem. Não se incomodam de visitar os lugares com rapidez e de passar muito tempo dentro de ônibus ou viajando de avião entre um lugar e outro. Principais pontos positivos:
1) As excursões costumam englobar tudo: reservas de aéreo e hotéis, passeios, traslados, restaurantes, guias e controlam o horário de chegada e saída
2) Ideal para quem quer apenas curtir a viagem, sem se preocupar com nada que envolva a organização
3) É uma boa para quem viaja sozinho, pois tem a chance de fazer muitas amizades no grupo
4) É uma alternativa vantajosa para quem está começando a viajar ou se sente inseguro em outros países. Vale também para destinos pouco comerciais e exóticos, em que, geralmente, não é fácil se virar sozinho
5) Viagens temáticas, como as gastronômicas, de vinhos, esportivas, se encaixam bem nesse perfil
 
Viagem de aventureiro: por o pé na estrada por conta própria
é para quem tem disposição para o improviso, para o inesperado, 
para o "fora do mapa"
Viajar por CONTA PR?"PRIA vale a pena para os turistas que gostam de planejar seu próprio roteiro ou preferem ir sem uma programação fixa para quando chegar ao destino, decidirem o que fazer. Tiram de letra trâmites que envolvem emissões de passagens, reservas em hotéis, meios de transporte etc. Gastam muitas horas na internet pesquisando preços. Principais pontos positivos:
1) Flexibilidade total de tempo e de passeios
2) Pesquisando bem dá para fazer uma baita economia
3) Boa oportunidade para ter experiência genuína com os costumes e habitantes do local
4) ?"timo para conhecer locais que fogem das atrações convencionais
5) Chance de encontrar pessoas de outros países, treinar novo idioma e ter muitos amigos gringos

versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo