Variedades

SLAM DO CAPIM XEROSO 08/01/2018 08:47

Slam retorna com semifinalista na batalha nacional de poesia

"O ano só começa depois da primeira edição”, diz PachaAna

Da Redação

A galera do rolê já sabe: todo último sábado do mês. E no primeiro do ano (27), o Slam do Capim Xeroso retorna com orgulho e ‘responsa’. Nossa representante de Mato Grosso na batalha nacional de poesia, a rapper PachaAna, volta da experiência ainda mais animada para dar peso ao movimento em Cuiabá. Ela foi semifinalista do Slam BR que ocorreu entre os dias 14 e 17 de dezembro, em São Paulo (SP), carregando o nome da cidade. E já mandou a letra: “Para mim o ano só começa depois da primeira edição”.

Durante o evento, Ana Gabriela conversou com o LIVRE e contou que recitou poesias conhecidas pela galera que a acompanha em Cuiabá. Feminismo e negritude nortearam sua participação nas batalhas com poemas como “Para cada preto na diáspora”, que considera sua letra mais forte no momento, e “Corpos pretos negligenciados” que a emocionou na praça de eventos do Sesc Pinheiros, onde rolaram as apresentações. “Chorei quando estava recitando, chorei ensaiando, vi meu pai chorando, para mim foi muito foda”, contou.

Ela também confirmou que a participação não só atendeu suas expectativas como conseguiu a surpreender. “Um rolê incrível, todo suporte do mundo a galera da organização me deu, quarto de hotel zica, galera zica, muita poesia boa”. E além de um gás no trabalho da artista, a experiência contribuiu para seu crescimento pessoal. “Não só para minha escrita, mas para minha vida mesmo. Eu, Ana, PachaAna, dentro e não só fora, estou crescendo muito por causa disso aqui também”.

Com o retorno do Slam do Capim Xeroso, ela afirma estar animada para passar para os conterrâneos a experiência adquirida. “Cuiabá tem muito o que crescer, eu sou só um pontinho no meio do mapa e queria que muitas pessoas aí pudessem participar do que eu participei”, afirmou.

E neste último sábado do mês (27), como sempre, a regra é simples: 3 rounds, 3 minutos e 3 poesias. Assim como PachaAna, a juventude cuiabana volta se reunir na “curva do capim xeroso” da Praça da Mandioca. Desde janeiro de 2017, a galera se deslocam de vários cantos da cidade para compartilhar ou só assistir as rimas no local que é tradicional para a cuiabania.

Fonte: O Livre


versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo