Variedades

SK8 23/01/2018 09:18

Pista de Skate Cuiabow reúne vanguarda e novos talentos de MT

Além das ruas e arquitetura que favorece a prática do skate, a pista do Goiabeiras reúne amantes do esporte

Da Redação

Conhecida na cena do skate pelos obstáculos naturais de sua arquitetura, Cuiabá também é dona de uma das maiores pistas cobertas de concreto do país. A 'Cuiabowl' reune amigos que protagonizaram o início do movimento nos anos 90 e possibilita o treino de grandes revelações no Estado.

Cuiabano que está em atividade há muitos anos, Delano Pozzetti, é o responsável pela idealização da pista Cuiabowl, a única com formato de piscina em Mato Grosso, construída em 2005 com a ajuda dos amigos da velha guarda que se conheceram na cena da música punk.

Desde então, a iniciativa resiste ao tempo, se reiventando. Passou por adaptações e melhorias em seu espaço, que além de funcionar como uma escolinha de skate, também oferece aulas de capoeira, zumba, yoga, defesa pessoal e já funcionou até como academia.

“Quando começamos era só a pista, mas não conseguimos ficar só com o skate por causa do comércio, pois não é uma prática que dá retorno financeiro. Como o espaço é grande, a gente decidiu fazer parcerias para movimentar o espaço”, explica Delano.

Há 13 anos, o espaço oferece aos skatistas a oportunidade da prática de diferentes modalidades por um preço camarada. “O cara vai andar o dia todo e pagar de 10 a 15 reais ou uma mensalidade de 50 reais, diferente de grandes cidades como São Paulo, onde você paga 25 reais a hora em pistas muito menores”, compara.

A pista funciona para uso com agendamento por um valor que é revertido na manutenção do espaço. “A pista é voltada para o fomento, a gente nunca visou dinheiro e ninguém nunca deixou de andar aqui por causa de dinheiro”.

Graças a militância e resistência, Cuiabá é reconhecida no país, por meio dos amigos que se articulam com outros estados. “Hoje o Brasil todo já conhece a gente aqui de Cuiabá. Quando vamos a qualquer lugar do país, a gente encontra a galera que pratica e os caras quebram nosso galho como se amigo fosse, porque o skate é uma irmandade”, afirma.

Cena em Cuiabá

O skate é um esporte que já se tornou modalidade olímpica, mas expressa também um estilo de vida de identificação com a música punk, cultura com raiz nos anos 80. Em Cuiabá, a cena de fortalece nos anos 90, e, segundo Delano, engloba diversos perfis, comum até mesmo entre empresários e homens da lei. “Existe uma grande liberdade e no meio dessa mistura toda a gente faz uma amizade verdadeira”, afirma.

O skatista já esteve entre os 15 melhores do mundo no skate de velocidade e o cuiabano Ricardo Porva foi o maior destaque da cena como campeão mundial da maior modalidade do mundo, a street – skate de rua. Nos anos 2000, o tatuador e veterano da prática, Tupac, conta que Cuiabá já recebeu personalidades da cena como o Chorão, vocalista da banda Charlie Brown, um dos principais interlocutores da cultura do skate no Brasil.

Além da Cuiabowl, o esporte tem como cenários os espaços do Ginásio Verdinho e Arena Pantanal. Mas Delano explica que os skatistas cuiabanos gostam mesmo é das ruas cuiabanas. A arquitetura favorece a modalidade.

Na atualidade, os skatistas 'old school' não têm disputado campeonatos, mas continuam participando de encontros nacionais como uma forma de fomentar a cena e representa-la nas grandes pistas de skate do país. Hoje, eles apostam em uma grande promessa: o pequeno Igor Peron.

Revelação 

E não só pela galera ‘old school’ o skate local está representado: um pequeno se torna gigante ao desafiar a gravidade em cima das rodas e já ganha títulos entre as revelações da cena nacional. Igor Castelo Branco Peron é a grande promessa do estado, reconhecido e cumprimentado por todos os veteranos que chegam para compartilhar a pista. “Será o primeiro profissional de Mato Grosso”, afirmam.

Igor tem 11 anos e começou a andar aos quatro. “Com dois anos eu descobri que tinha um problema nos olhos, então meu pai pensou ‘futebol não daria’, aí ele me deu skate”, explica. Hoje, ele pratica todas as modalidades, mas conta que é craque mesmo no skate vertical.

Os treinos começaram na pista de skate do Ipase, em Várzea Grande, sob observação do pai, que já tinha o esporte presente na infância e hoje acompanha o filho, transformando a paixão no ganha pão da família.

“Meu pai abandonou tudo para montar uma loja de skate e hoje é presidente da Associação Mato-grossense de Skate”, contou Igor. Roberto Gonçalves Peron e a esposa administram o negócio no Shopping Popular.

Igor afirma estar sempre agarrando as oportunidades que surgem e já esteve pelo menos cinco vezes em São Paulo, participando de campeonatos nacionais. No primeiro, já ficou em segundo lugar. “Mas ainda não era do nível deste último que participei”.

Em 2015, Igor foi vice-campeão no campeonato nacional Futuro da Nação, responsável por revelar melhores skatistas da nova geração que competem nas melhores pistas de São Paulo. “Foi muita emoção, muita adrenalina saber que fiquei entre os três melhores do Brasil da minha categoria”, conta animado.

Sobre a carreira profissional, mesmo tão novo, Igor não tem dúvidas: “Eu pretendo viver de skate, é meu maior sonho”.

Fonte: O Livre

 
 
 


versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo