Estadual

04/10/2017 09:10

Comandante-geral reconhece "dias difíceis", apoia investigações e isenta PM

Da Redação

O comandante-geral da Polícia Militar de Mato Grosso, coronel Marcos Vieira da Cunha, escreveu uma carta direcionada aos policiais militares do estado. Nela, ele reconhece que a instituição está vivendo “momentos difíceis”. Diz também que apoia as investigações contra PMs, mas não admitirá que “alguns maculem” o nome da corporação. “A Instituição está muito além e é muito maior que todos nós”, afirma.

Embora ele não cite claramente o caso, a manifestação ocorre uma semana após o escândalo dos grampos telefônicos ilegais chegar ao ápice e atingir militares de alta patente da PM, como os coronéis Evandro Lesco, Airton Siqueira e Carlos Eduardo Pinheiro. Enquanto  Lesco e Siqueira foram presos na Operação Esdras, da Polícia Civil, Pinheiro foi afastado do cargo de corregedor-geral, em virtude das informações reveladas pela mesma operação.

Cunha assumiu o Comando-Geral em junho, substituindo o coronel Jorge Luiz Magalhães. A troca teria sido motivada por um suposto vazamento de informações sigilosas relativas às investigações sobre os grampos ilegais praticados por militares.

Por conta desses vazamentos, o coronel Alexandre Corrêa Mendes, então corregedor-geral da PM, e o tenente-coronel Victor Paulo Fortes Pereira, ex-diretor de Inteligência da instituição, também foram presos. O caso dos grampos telefônicos ainda levou para a prisão o ex-comandante da PM, coronel Zaqueu Barbosa, e os cabos Geron Correa e Euclídes Torezan.

Veja a carta na íntegra:

Senhores(as) policiais militares, o treinamento árduo possibilita uma guerra fácil. Estamos vivendo momentos difíceis, mas jamais deixaremos a nobre missão de segurança. Os desafios e as dificuldades nos forjam e nos tornam melhores a cada dia. Somos soldados em defesa do povo mato-grossense.

A Polícia Militar é composta de homens e mulheres honrados. Profissionais excepcionais que trabalham incansavelmente para proteger a sociedade e que, assim como você e eu, jamais admitirão generalizações descabidas com o intento de macular a todos. Não é necessário dizer, mas reafirmamos que combatemos o crime, militar ou comum, em todas as suas circunstancias. Não admitiremos, em defesa da honradez de nossos heróis e do bom nome de nossa Instituição, que alguns maculem o nome e a imagem da Gloriosa Polícia Militar.  A Instituição está muito além e é muito maior que todos nós.

Apoiamos as investigações em curso e exigimos rigor na apuração para aplicarmos as medidas administrativas necessárias, depois de garantido o direito constitucional dos envolvidos, ao pronto restabelecimento da hierarquia e disciplina. É importante dizer que tais fatos ocorreram distantes dos átrios da Polícia Militar.

Somos patrimônio do povo mato-grossense e estamos convictos de nossa missão. A Polícia Militar é garantidora de direitos individuais e coletivos e tem a função de levar tranquilidade à população. Cada policial militar deve se orgulhar do seu trabalho e da farda que diariamente ostenta no cumprimento de sua missão. Somos muito maiores que a dificuldade momentânea.

Minhas continências aos senhores policiais. O Comando da Polícia Militar está à disposição de todos.

Cel Marcos Vieira da Cunha

Comandante-Geral da Polícia Militar

Fonte: HiperNotícias


vers�o Normal Vers�o Normal Painel Administrativo Painel Administrativo