Geral

MEIO AMBIENTE 05/06/2016 08:08

Voluntários retiram 24 toneladas de lixo do rio Cuiabá

A metade das 20 toneladas de lixo retirada no lado de Cuiabá é reciclável e deve gerar cerca de R$ 5 mil para as cooperativas de catadores

Da Assessoria

Centenas de pessoas se mobilizaram na manhã deste sábado (04) em uma grande ação que retirou do Rio Cuiabá em torno de 24 toneladas de lixo. O evento, denominado Amigos do Rio Cuiabá, começou com a concentração a partir das 7h na Praça Luís de Albuquerque e teve a participação do prefeito Mauro Mendes e do vice-governador e secretário de Estado de Meio Ambiente, Carlos Fávaro, juntamente com secretários municipais de Cuiabá e de Várzea Grande e de representantes de diversas entidades.

O evento foi uma iniciativa do deputado estadual Wanclei Carvalho (PV) que há 17 anos participa do movimento Amigos do Rio Guaporé, em Pontes e Lacerda, e resolveu propor também uma grande mobilização em torno do Rio Cuiabá. “Iniciamos hoje esta ação dos Amigos do Rio Cuiabá e a nossa intenção é levar este trabalho para os 13 municípios que ficam ao longo do rio”, anunciou o deputado.

A largada da ação foi marcada pelo grito de guerra “Lixo no chão, não”. Os grupos seguiram tanto por barco (cerca de 30 embarcações), como por terra, nas margens do rio. Para facilitar a coleta do material que era recolhido pelos voluntários, foram montados postos no Carrapicho e na Alameda, em Várzea Grande; e, em Cuiabá, na Praça Luís de Albuquerque, no Praeirinho e na Comunidade São Gonçalo Beiro Rio.

Governo pega carona

No lado de Várzea Grande, em um trecho de cerca de dois quilômetros, foram recolhidas duas toneladas de lixo. No lado de Cuiabá, da Praça Luís de Albuquerque, próximo a Ponte Júlio Muller, em um percurso de cinco quilômetros até o São Gonçalo Beira Rio, foram retiradas 20 toneladas de lixo. Entre os voluntários, estava Scarlet Teles de Souza, que mora em Navegantes, no Estado de Santa Catarina, e que soube do evento por uma rede social e veio participar.

“Minha mãe mora aqui em Cuiabá e eu vim visitá-la e também aproveitar para ajudar nesta ação de limpeza do rio”, contou Scarlet. A BRF de Várzea Grande (antiga Sadia) foi uma das empresas privadas que se engajou no movimento. Vinte funcionários que fazem parte do Programa Voluntários do Comitê de Investimento Social da BRF fizeram questão de estar presentes.

O vice-governador e Secretário Estadual de Meio Ambiente, Carlos Fávaro, disse que o governador Pedro Taques determinou a participação do governo estadual no evento para servir de exemplo à sociedade civil. Fávaro explicou que, diferentemente de outras cidades que vivem de frente para seus rios, e cuidam deles como um patrimônio, Cuiabá e Várzea Grande tem a peculiaridade de ficarem de costas para o Rio Cuiabá.

“Temos que resgatar o orgulho de termos o Rio Cuiabá que corta estas duas cidades. Que esta campanha não ocorra apenas hoje, mas que continue. Estamos iniciando primeiramente com a limpeza e a valorização do rio também está acontecendo com a urbanização que está sendo feita pelo prefeito Mauro Mendes”, destacou Fávaro.

O prefeito Mauro Mendes elogiou a iniciativa dos Amigos do Rio Cuiabá e disse que a ação merece o apoio não só do Poder Público, mas de toda a sociedade. Ele aproveitou para destacar o resgate do Bairro do Porto, com as obras que estão sendo feitas na orla do Rio Cuiabá em um trecho de 1.300 metros e que incluirá a recuperação das praças do local, como a Luís de Albuquerque.

”Quando o Porto Cuiabá estiver concluído, será motivo de orgulho não só para os cuiabanos, mas para todos os mato-grossenses e turistas que vierem aqui visitar este espaço, que servirá para o lazer da população. E esta obra, que terá um espaço para a contemplação do rio, ajuda a resgatar o orgulho da população em utilizar o rio, por isso é importante essa ação de preservação do Rio Cuiabá”, salientou o prefeito.

Recursos para cooperativas

De acordo com o diretor de Resíduos Sólidos da Secretaria de Serviços Urbanos, o ambientalista Abel Nascimento, a metade das 20 toneladas de lixo retirada no lado de Cuiabá é reciclável e deve gerar recursos para as cooperativas. “São cinco mil reais jogados no lixo, já que cada tonelada de material reciclado pode gerar um lucro de 500 reais”, disse Abel, se referindo às 10 toneladas recolhidas que podem ser aproveitadas, como garrafas PET, vidro, papelão, plástico e sucatas. “As pessoas tem que separar o material e mandar para as cooperativas, pois gera lucro”, complementou.

No São Gonçalo Beira Rio, um lugar tradicional que concentra várias restaurantes e peixarias, foi montado um ponto de coleta do material reciclado que foi retirado das margens e do rio. Abel disse que o trabalho de monitoramento e de conscientização continua. “É uma ação reflexiva, de percepção, de que devemos cuidar do rio que nos dá o peixe e a água. O comércio local tem sua parcela de contribuição e pode ajudar, orientando para que as pessoas não joguem este material lá em baixo. O caminhão de lixo passa aqui três vezes por semana, então coloca no caminhão”, pediu.

Trabalhando juntamente com a ONG Terra Verde, o professor Manuel Pinheiro da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), ajudou a encher vários sacos de lixo recolhido das margens do rio. Ele está fazendo um doutorado na área de Meio Ambiente e Conservação da Biodiversidade e faz parte do grupo que tem como linha de pesquisa o trabalho “Lixo Flutuante que Sedimenta no Pantanal”. Em sua avaliação, ações como está estão recuperando o rio. “Temos observado que nos últimos anos está diminuindo o lixo”, constatou.

Para o coordenador da Defesa Civil de Cuiabá, José Zanete, o resultado da ação deste sábado surpreendeu. “Recolhemos mais lixo do que eu imaginava. Mas o mais importante aqui foi a conscientização. Quem esteve aqui será um multiplicador dessa ideia que irá se disseminar pela sociedade. Essa ação deverá se estender pelas cidades ribeirinhas ao longo do Rio Cuiabá”, afirmou.

Também integraram o movimento, além de secretarias do governo do Estado, de Cuiabá e de Várzea Grande; a Marinha; o Exército; Polícia Ambiental; Ministério Público, por meio do Juvan (Juizado Especial Volante Ambiental), que também distribuiu mudas de plantas; ONGS, como a Embaixada Mundial de Ativistas pela Paz-Filhos da Mãe Terra; Instituto Natureza; Terra Verde; alunos e professores de universidades (UFMT, Univag, Unic e Unirondon) e as cooperativas Coopermar, Coorepan, Coopunião e Acamarc, que trabalham na reciclagem de materiais aproveitáveis. Também participaram os secretários de Cuiabá José Roberto Stopa (Serviços Urbanos) e Alan Porto (Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano).


vers�o Normal Vers�o Normal Painel Administrativo Painel Administrativo