Nome da oposição para o governo depende de aposentadoria de Antônio Joaquim

Da Redação

A definição de candidatura majoritária do grupo da oposição ao governo Pedro Taques (PSDB) depende de decisão da Justiça sobre a aposentadoria do conselheiro de Contas afastado, Antônio Joaquim. A eventual coalizão composta por MDB (antigo PMDB), PTB e PR tem, além de Antônio Joaquim, o senador republicano Wellington Fagundes cotado para disputar o governo de Mato Grosso nas eleições 2018.

“Ainda não decidimos o nome porque há empecilho jurídico pendente, mas até o final de fevereiro, a candidatura que vem sendo construída agora será apresentada, pois acreditamos que até lá a Justiça terá alguma definição”, disse o prefeito Emanuel Pinheiro, nesta segunda (29), em comentário ao processo de aposentadoria de Antônio Joaquim.

Pinheiro disse que a articular do grupo tem se concentrado em torno dos dois nomes e indicou que a prioridade é do conselheiro de Contas, articulação que vem sendo montada desde as eleições municipais de 2016.

“A conversa está limpa, sem faca nas costas, sem conversa desviada. Ambos são grandes nomes e acredito que dificilmente [a escolha] fuja de algum deles. Mas, precisamos esperar a decisão da Justiça”.

Antônio Joaquim, hoje afastado do TCE (Tribunal de Contas do Estado) por decisão Supremo Tribunal Federal (STF), anunciou sua aposentadoria e filiação ao PTB em outubro do ano passado com discurso montado para disputar as eleições de 2018. Seu plano era deixar o cargo para preparar sua pré-candidatura.

O processo de aposentadoria dos conselheiros de Conta depende da chancela do Poder Executivo. E, em novembro, o governador Pedro Taques resolveu pedir consulta do pedido de Antônio Joaquim ao STF em mote da investigação contra ele e outros quatro membros do pleno em desdobramento da delação premiada de Silval Barbosa. O governador aguarda a análise da Corte Suprema para decidir se concede ou não a aposentadoria.

PP, PR, PDT, MDB são cogitados na aliança com PTB, numa construção iniciada na campanha à Prefeitura de Cuiabá de Emanuel Pinheiro, em 2016. Republicanos e emedebistas trabalhavam o lançamento de candidaturas próprias a cargos majoritários. No primeiro grupo, o senador Wellington Fagundes aparece como o potencial candidato; e Carlos Bezerra é provável representante do MDB, partido ao qual Antônio Joaquim era próximo e no qual chegou a cogitar lançar sua candidatura ao Palácio Paiaguás.

Fonte: Circuito MT

Compartilhe:

Com muito ❤ por go7.site