PT fará ato na quinta-feira para lançar a candidatura de Lula à Presidência do Brasil

Da Redação

  O PT pretende fazer um ato político na quinta-feira,25, que servirá como o lançamento da candidatura Lula rumo à Presidência da República. O evento político-partidário independe do resultado do julgamento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que acontecerá nesta quarta-feira,24, no Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) sediado em Porto Alegre (RS).

Ainda na quinta-feira, o PT deverá realizar uma reunião com suas principais lideranças e com os membros da executiva nacional. Também devem participar do encontro os cinco governadores do partido, além de deputados e senadores. “Não vamos aceitar calados uma condenação do ex-presidente Lula” disse um dos vice-presidentes da legenda, Alexandre Padilha.

O PT também entregou ao ex-prefeito de São Paulo, Fernand Haddad, a responsabilidade da coordenação do programa de governo da candidatura de Lula e a elaboração de uma nova versão da “Carta ao Povo Brasileiro”, que foi apresentada em 2002. A nova versão deverá ser apresentada no dia 26 de fevereiro, durante a comemoração dos 38 anos de fundação do PT.

COBERTURA INTERNACIONAL

O julgamento da chamada apelação número 50465129420164047000, referente ao recurso do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, terá cobertura das principais redes e agencias de  notícias do mundo.

De acordo com o tribunal, aproximadamente 300 jornalistas farão a cobertura no local. São 250 do Brasil e 43 correspondentes estrangeiros, da Alemanha, Argentina, Catar, China, Dinamarca, Espanha, Estados Unidos, França, Inglaterra e Japão.

O julgamento está sob responsabilidade da 8ª Turma, formada pelos desembargadores Leandro Paulsen (presidente e revisor), João Pedro Gebran Neto (relator) e Victor Luiz dos Santos Laus. As 7ª e 8ª Turmas do TRF4 cuidam da área penal. Será a única sessão do dia, e a primeira da 8ª Turma em 2018.

Paulsen abre a sessão, passando a palavra a Gebran, que fará a leitura do relatório do processo. Depois será a vez de o Ministério Público Federal (MPF) se manifestar e, na sequência, os advogados da defesa – além de Lula, há outros recursos sendo julgados. O relator lê o seu voto, seguido do revisor e, por fim, o desembargador Santos Laus. Existe a possibilidade de pedido de vista. Nesse caso, o processo será julgado em outra sessão.

O recurso da defesa de Lula, conforme o tribunal, será a 24ª apelação da Operação Lava Jato julgado pela Corte.

Segundo o TRF4, o MPF pode recorrer em caso de absolvição. Se houver condenação, a execução da pena só ocorrerá depois de julgados todos os recursos de segundo grau.

Formado por 27 desembargadores, o TRF4 tem jurisdição no Rio Grande do Sul, em Santa Catarina e no Paraná.

(Fontes:Brasil247/Agencia Brasil Notícias)

Compartilhe:

Com muito ❤ por go7.site