881x113
Banner 780x100

MPE rejeita investigação contra Thelma de Oliveira em esquema citado por Silval

Da Redação

O promotor de Justiça de Chapada dos Guimarães Leandro Volochko rejeitou uma denúncia que pedia a abertura de investigação contra a prefeita do município, Thelma de Oliveira (PSDB), por fatos citados na delação premiada do ex-governador Silval da Cunha Barbosa.

O promotor do Ministério Público Estadual (MPE) argumentou que a 1ª Promotoria de Justiça Cível de Chapada dos Guimarães não teria a atribuição de investigar casos contidos na delação do ex-governador. Para Volochko, os fatos citados por Silval devem ser investigados pelo Ministério Público Federal (MPF).

Conforme narrado na delação, o ex-governador teria sido procurado por Thelma quando ela ocupava o cargo de deputada federal, em 2010. Thelma teria solicitado o pagamento de R$ 1 milhão em propinas para que uma emenda parlamentar de R$ 10 milhões fosse liberada.

“Dentro deste contexto, notadamente por haver verba federal envolvida e pelo fato da Procuradoria-Geral da República estar tratando do caso, entendo pelo não acolhimento da denúncia neste momento reservando-me nova análise se eventualmente o Ministério Público Federal se considerar ilegítimo para a tomada de providências”, escreveu Volochko.

Os recursos seriam destinados à implantação de um sistema de captação, tratamento e distribuição de água em Chapada dos Guimarães. Silval afirma que a então deputada abriu a possibilidade de os recursos terem outra destinação, desde que houvesse o pagamento da propina.

Ainda de acordo com a delação, o ex-governador teria concordado com o retorno de R$ 1 milhão, que seria destinado à campanha de Thelma em 2010. Os valores teriam sido repassados de duas formas: R$ 500 mil em dinheiro e outros R$ 500 mil emprestados pelo empresário Wanderley Fachetti Torres, da construtora Trimec. Silval conta que pediu o empréstimo a Wanderley depois que Thelma cobrou “insistentemente” o recebimento da segunda parcela de R$ 500 mil.

Segunda denúncia foi aceita
A denúncia foi encaminhada ao promotor de Chapada dos Guimarães pela Câmara Municipal de Chapada dos Guimarães – o pedido de investigação foi protocolado pelo cidadão Juares Bueno de Pacheco.

O promotor Leandro Volochko acatou um segundo pedido de investigação com relação à prestação de contas de Thelma à Câmara Municipal. A prefeita teria deixado de apresentar os balancetes financeiros mensais de janeiro a julho de 2017.

Thelma tem 15 dias úteis para responder com informações sobre a prestação de contas, a Câmara tem 10 dias para enviar os balancetes em seu poder e o Tribunal de Contas do Estado (TCE) tem 20 dias para prestar informações sobre as contas de 2017 do município.

Fonte: O Livre
 
 

Compartilhe:

Com muito ❤ por go7.site